Lula evita que Fernando Haddad seja ouvido por Moro

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva informou à Justiça, nesta segunda-feira (06), que não quer mais o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, sendo interrogado pelo juiz federal Sérgio Moro. A defesa de Lula havia convocado Haddad para ser testemunha da ação penal do sítio de Atibaia. Porém, eles resolveram tirar a convocação do ex-prefeito. O motivo seria porque ele é vice na chapa encabeçada pelo ex-presidente, caso dispute a eleição.

Fernando Haddad é, atualmente, o candidato preferido do PT, caso Lula não possa disputar as eleições. O líder do PT está inelegível em decorrência da sua condenação na Operação Lava Jato, sentença na qual foi proferida pelo juiz Sérgio Moro.

O motivo de evitar uma conversa do ex-prefeito com o magistrado da Lava Jato, seria por ele ser vice de Lula. Além disso, foi nomeado como advogado também do condenado. Essa nomeação conquistada pelo PT facilita a comunicação entre o presidiário e o ex-prefeito.

Encontro
O encontro entre Moro e Haddad seria nesta quinta-feira (09), dia em que haverá o debate dos candidatos à Presidência do Brasil na TV Bandeirantes. Nesse dia serão ouvidas outras testemunhas de Lula. Entre elas estão: o cantor e compositor Gilberto Gil, que trabalhou no governo do petista como ministro da Cultura e a ex-presidente Dilma Rousseff.

Nessa ação penal do sítio de Atibaia, o Ministério Público Federal (MPF) denunciou Lula e mais 12 pessoas. Eles foram acusados de receberem mais de R$ 1 milhão em propina referente a reformas feitas no imóvel. As construtoras envolvidas são: Odebrecht, OAS e Shahin. Em troca desse repasse de propina, essas empresas ganharam vantagens ilícitas em contratos com a Petrobras.

No dia 11 de setembro, enfim, será a vez de Lula dar depoimento ao juiz. Ele nega qualquer irregularidade e afirma que não recebeu nenhuma vantagem indevida. De acordo com a defesa do petista, não há provas contra ele.

Fonte:UOL

Compartilhe em Suas Redes Sociais