Lula manterá aposta em vitimização para tentar liberdade no STF, com chance diminuta

Com uma situação jurídica complicada segundo especialistas, Lula apostou em manter vitimização, conforme carta lida pela presidente do PT.

Segundo especialistas, a situação do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva não é nada favorável à sua pessoa. Condenado e preso em Curitiba pela sentença do juiz Sérgio Moro, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá, em SP, somando 12 anos, Lula deve manter aposta na vitimização ao STF (Supremo Tribunal Federal), a concepção dessa atitude ficou nítida principalmente após uma carta lida nesta terça-feira (3) pela presidente do PT (Partido dos Trabalhadores), Gleisi Hoffmann, na qual o petista afirma supostas manobras de Fachin, por conta do ministro ter levado o caso ao Pleno e não a 2ª Turma.

O então condenado ex-presidente apostava que seu caso iria para a 2ª Turma, pois lá teria mais chances de ter a liberdade decretada, pelo menos até setembro, já que a volta de Cármen Lúcia é temida pelo PT.

A ministra deve trocar de lugar com Dias Toffoli, que como uma possível última cartada antes de sair, Toffoli soltou o petista José Dirceu votando a favor da liberdade do réu outrora já condenado por diversos crimes.

As chances de liberdade de Lula são diminutas no Pleno, já as chances na 2ª Turma seriam melhores para ele
Por maioria de votos, a probabilidade era que Toffoli, Mendes e Lewandowski libertassem Lula em 2ª instância, ou seja, na 2ª Turma, mas devido a articulações internas do STF, essa possibilidade hoje é diminuta e um tanto raquítica, já que o próprio ministro Edson Fachin encaminhou o pedido da defesa de Lula ao pleno, como já dito, ao invés da 2ª Turma, que também é composta por Fachin e Celso de Mello.

O pleno, ou plenário, é composto pelos ministros tanto da 1ª quanto 2ª Turma, ou seja, todos os juristas, entretanto, na soma de votos, Lula sairia derrotado.

Aposta em vitimização de Lula dirigida ao STF diz respeito ao ministro Edson Fachin
A carta de Lula, lida pela senadora e presidente do PT, Gleisi Hoffmann, revela a insatisfação do ex-presidente, que é possível notar, pela vitimização dirigida ao STF. Queixas também foram registradas, principalmente no que diz respeito à pessoa do ministro Edson Fachin, que veio mostrando mudanças em sua forma de agir no Supremo, surpreendendo a muitos nas suas decisões, inclusive no julgamento de réus e condenados.

Entretanto Lula não descarta candidatura à presidência, e deve manter a estratégia de vitimização; a defesa do petista tem até 15 de agosto para tentar a apresentação do registro da candidatura.

Via: blastingnews

     

Gostou? Compartilhe!

 

     

Siga-nos no Twitter!