Lula no presídio. Ministro João Otavio de Noronha, presidente do STJ, defende transferência do petista para prisão comum

O ex-presidente Lula completou esta semana 200 dias de detenção. O petista cumpre pena numa sala especial no quarto andar do prédio da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, desde o dia 07 de abril. Segundo reportagens publicadas na imprensa, o custo diário da prisão de Lula é de cerca de R$ 10 mil. Quatro agentes federais se revesam em turnos na guarda do ex-presidente. 

Na semana passada, o ministro João Otavio de Noronha, presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), afirmou que a aplicação da Justiça pressupõe igualdade de tratamento, por isso defendeu que Lula deveria cumprir sua pena em um presídio, como qualquer apenado, sem a regalia da cela especial onde se encontra.

Como qualquer outro

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

“Esse cidadão” – disse Noronha, referindo-se a Lula – “deveria cumprir sua pena normalmente, como qualquer outro, em uma prisão”. embora tenha ressaltado a necessidade de manter o ex-presidente em uma prisão digna, Noronha informou que sua preocupação é com o precedente. Ou daqui a pouco “réus traficantes” podem pedir isonomia de tratamento.

Noronha acha exagerada a atenção que se dá a Lula, inclusive na imprensa, o que contribui para dificultar o cumprimento da pena. O ex-presidente cumpre pena de 12 anos e 1 mês de prisão em regime fechado, após ter sido condenado em segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro,

As informações são do Metro Jornal e Imprensa Viva

Compartilhe em Suas Redes Sociais