MÉDICO CUBANO QUE DECIDIU FICAR NO BRASIL: “ÉRAMOS ESCRAVOS. FOMOS AMEAÇADOS O TEMPO TODO”