“Meu marido é um príncipe”, afirma Michelle Bolsonaro

Futura primeira-dama fala sobre fé, depressão, obras sociais, casamento e as expectativas para a posse de Bolsonaro

A futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro, falou sobre as expectativas para o dia 1º de janeiro, na cerimônia de posse de Jair Bolsonaro.

Durante entrevista ao programa Sempre Feliz, da Rede Super, nesta quarta-feira (21), Michelle expressou o desejo de resgatar a dignidade do Brasil.

– Meu maior sonho é que o Brasil se torne uma nação próspera.

Tenho sonho de alimentar essa nação com obra social. A palavra do Senhor vai transformar vidas.

Essa nação vai bombar para Jesus a partir do dia 1º de janeiro – disse à apresentadora Márcia Resende.

Ela também espera que o povo brasileiro conheça melhor o futuro presidente a quem ela chama de “meu príncipe”.

– O Senhor viu um coração honesto no meu esposo.

Esse é o momento em que Deus vai mostrar quem é o Messias. O Senhor o quebrantou primeiro e ele vai colher frutos de sabedoria.

Todos esses rótulos vão cair por terra porque meu marido não é essa pessoa. Meu marido é um príncipe. Ele é totalmente diferente dentro de casa.

Membro da Igreja Batista Atitude na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, Michelle teve um encontro com Cristo aos 14 anos.

Mãe de Letícia e Laura, a nova primeira-dama se converteu na Primeira Igreja Batista de Ceilândia, cidade de Brasília onde cresceu.

– Aceitei Jesus na curiosidade.

Resolvi seguir um grupo de amigos e eles entraram em uma igreja.

Eu era católica e foi aquele primeiro amor.

O grupo de louvor me conquistou e senti que ali era o meu lugar.

Mas aconteceram alguns problemas na igreja e, como não tinha maturidade, me afastei dos pés do Senhor.

Mesmo vivendo as coisas do mundo, tinha certeza de que um dia ia voltar.

Deus tinha um propósito na minha vida.

Ela ainda recorda que enfrentou um período de depressão na mudança para o Rio de Janeiro.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

A esposa de Bolsonaro lembra que foi sua fé em Deus que a ajudou a superar o momento difícil.

– Entendi que minha alegria e minha força vêm do Senhor. Eu teria que me apegar a Ele para continuar firma no Senhor.

Ele me curou e sou extremamente grata a ele – testemunhou.

Bastante envolvida em causas sociais, principalmente nas questões das pessoas surdas, Michelle relembrou que foi através de um tio que ela se apaixonou pelas Libras.

Na época em que era membro da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC), Michelle conheceu um casal surdo e eles vieram a se reencontrar na Batista Atitude.

– Libras é muito mais que um idioma, é uma linguagem de amor. Você aprende para poder ajudar o próximo.

Orei ao Senhor pedindo amigos surdos e Ele me conduziu para a Batista Atitude onde aquele casal estava.

Hoje participo da Família Incluir, um ministério acessível para pessoas com deficiência, portadores de síndromes e surdos, em sua maioria.

Sobre o ataque sofrido por Bolsonaro, ela viu o incidente como uma forma de Deus trabalhar na vida do marido.

– Eu não tive medo de perder meu marido. Sempre cri na palavra de que o Senhor tem o controle de todas as coisas.

Agradeço ao Senhor porque ele me deu tanta paz. Nesse deserto, o Jair levantou várias vezes as mãos para o céu e falava que estava vivo por causa de Deus.

Ele tem muita obediência a Deus e sei que o Senhor está trabalhando na vida dele.

Ciente de que Bolsonaro foi responsável por resgatar o patriotismo no Brasil, Michelle pretende ajudar o novo presidente a fazer a diferença na nação.

– Nunca sonhei em fazer parte de uma história. O Senhor tem me moldado nesse processo de transição.

Se o Senhor permitiu que meu marido comande essa nação, eu quero fazer a diferença. Vamos nos mudar para Brasília logo após o Natal.

Sei que vai ser uma mudança brusca como já mudou muita coisa.

Via: Pleno.News

Compartilhe em Suas Redes Sociais

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.