Ministro do STF recebe preocupante ameaça e processos são vasculhados

Telefonemas intrigantes mexem com a integridade física do magistrado do Supremo.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso está recentemente nos holofotes após ter autorizado a quebra de sigilo do presidente da República, Michel Temer.  O ministro mostra-se contrário ao governo e deu vários indícios sobre isto.

Sendo o relator do processo sobre o Decreto dos Portos, que mira Temer e aliados, Barroso apura supostos pagamentos de propina. Seu posicionamento na Justiça faz com que o governo perca a credibilidade.

No entanto, um fato torna-se curioso sobre Barroso e levanta estado de alerta. O ministro está recebendo telefonemas preocupantes. As ligações soam como um alerta.

Barroso recebe diversas alertas sobre ameaças contra sua integridade física e seus processos estariam sendo vasculhados de todas as formas. Ainda não sabe-se de onde vem as ameaças, mas desde que está exercendo pressão sobre o governo de Temer, o ministro lida com diversas críticas por enfraquecer a imagem do presidente.

#Michel Temer tenta de todas as formas descobrir o porquê de Barroso estar em uma ofensiva contra ele. O presidente levantou a hipótese de que esta seria uma tentativa de mexer com o ministro Gilmar Mendes. Barroso e Mendes estão em uma relação de inimizade.

Decreto dos Portos
O presidente Michel Temer teve que tirar extratos bancários para comprovar na Justiça. A decisão de Barroso causou fúria no presidente. O resultado dos extratos iriam ser divulgados para a imprensa, mas Michel Temer mudou de decisão e avaliou que o caso está sob exame.

Familiares de Temer estariam conversando com o presidente a respeito da exposição que seria com a divulgação dos dados. Agora, Temer afirma que terá uma conversa com seu advogado Antônio Cláudio Mariz e analisará a situação. Além de Temer, o inquérito sobre o Decreto dos Portos também envolve dois ministros do governo Temer, Moreira Franco (Secretaria-Geral) e Eliseu Padilha (Casa Civil da Presidência).

A decisão de Barroso a respeito do inquérito que envolve Temer ocorreu de forma única. Nunca a Justiça adotou uma medida como esta contra um presidente da República.

Caso Battisti
Outro caso que chamou atenção é o fato de Barroso ser contra a extradição do terrorista italiano Cesare Battisti. Devido a uma mudança no decreto, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva colocou Battisti como um asilado político.

No entanto, a Itália afirma que o homem é criminoso e responsável por assassinatos. Michel Temer poderia revogar a decisão de Lula e extraditá-lo. O ministro Barroso ficou ao lado do criminoso, e demonstrou apoio para que permaneça exilado no Brasil.

 

Via: blastingnews

Gostou? Compartilhe!
  • 4.2K
  •  
  •  
  •  
  •  
    4.2K
    Shares