MST reclama: 2 mil integrantes tiveram que procurar emprego após cortes de verbas do governo

Setores da esquerda e da imprensa ainda se ressentem da onda de cortes promovidas pelo governo federal desde 2016. Esta semana, grupos voltaram a criticar o governo pelo corte de repasses essenciais para a manutenção dos movimentos sociais.

Numa matéria publicada em junho daquele ano, vários publicaram a seguinte notícia: “O governo do presidente interino Michel Temer cortou diversos repasses que seriam destinados aos movimentos sociais organizados tidos como braço do PT dentro da estrutura de Governo. O efeito Temer fez surgir um movimento contrário nas entidades ditas defensoras e protetoras dos direitos sociais. Milhares de membros do Movimento dos Sem Terra deixaram os acampamentos em busca de vagas de emprego nas cidades vizinhas onde os assentamentos estão organizados. Ao todo são mais de 2 mil integrantes do MST que já se consideram ex-membros e que entraram no programa de recolocação no mercado de trabalho”.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

De lá para cá, estima-se que o MST tenha perdido mais de 20 mil membros efetivos que atuavam exclusivamente em protestos, bloqueios de estradas e atos em favor dos integrantes do PT. Alguns integrantes do movimento tiveram que devolver carros que haviam finaciado, por falta de condições de horar os compromissos. O partido lamenta o fato e desistiu de convocar manifestações pelo país, tamanha a desmobilização dos movimentos sociais ocorrida nos últimos meses, após o corte de verbas federais.

 

Via: https://www.imprensaviva.com

Compartilhe em Suas Redes Sociais

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.