Na Suíça, advogados de Lula falam que ele está sofrendo “tortura”

Advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) deram entrevista coletiva nesta terça-feira (3) em Genebra, na Suíça, para apontar para a imprensa internacional supostas irregularidades na condenação e prisão do petista no caso do tríplex do Guarujá, que o torna inelegível segundo a Lei da Ficha Limpa, que também foi contestada.

Valeska Teixeira Zanin Martins e o australiano Geoffrey Robertson, que representa Lula em Cortes internacionais, também fizeram um relato sobre o estado emocional do ex-presidente, detido sozinho em sala especial na sede da Polícia Federal em Curitiba (PR), onde tem recebido aliados e articulado politicamente sobre as eleições deste ano.

“Eu acho que ele está em tortura psicológica porque ele fica sozinho aos fins de semana, em qualquer feriado”, disse Valeska, questionada por jornalistas se o confinamento em solitária poderia ferir as regras internacionais de direitos humanos. “Lula é um cidadão que está acima… que está abaixo da lei”, afirmou a defensora, corrigindo sua fala. A advogada repetiu o mantra do petista de que ele não quer estar “nem acima nem abaixo da lei”.

A defensora do ex-presidente criticou a juíza Carolina Lebbos, responsável pela execução da pena de Lula, e disse que a magistrada “não está permitindo que ele tenha mais visitas”. “(Lula é visitado) apenas por advogados, dois amigos por semana e familiares”, lamentou Valeska.

“Lula é um político e precisa estar cercado de políticos como amigos”, explicou a defensora.

Fonte: Estadão e republicadecuritiba.net

     

Gostou? Compartilhe!