Nosso sistema de saúde é pior que o de 6 de alguns dos países mais pobres africanos…

O que Cabo Verde, Senegal e Argélia têm em comum? São países africanos, mais pobres que o Brasil e com um péssimo sistema de saúde – e que ainda assim ganham do nosso SUS. São, no total, 6 países africanos que se encaixam nessa categoria.
Em 2000, a Organização Mundial da Saúde fez o mais completo estudo sobre os sistemas de saúde ao redor do mundo e estabeleceu um ranking entre eles. Dos 191 participantes, o Brasil ficou na 125º posição, atrás de diversos países pobres da África e da Ásia.

De lá pra cá, pouca coisa mudou. Um estudo realizado ano passado pela Bloomberg com 51 países colocou o Brasil na penúltima posição, novamente atrás da Argélia – os outros países citados não participaram da pesquisa.
No ranking, liderado por Singapura e Hong Kong (os dois países com a economia mais livre do mundo), ganhamos somente da Rússia, última colocada. Na América do Sul, quem melhor pontuou foi o Chile (o país com a economia mais livre do continente), que despontou na 17ª posição no ranking geral, à frente da Suécia, Finlândia e do Canadá.
Apesar do péssimo desempenho do nosso sistema de saúde, estamos na 51ª posição entre 188 países quando o assunto é o gasto per capita com saúde, ao lado da Croácia, da Estônia e da Polônia, todos países europeus com IDH muito alto – e uma saúde muito melhor que a nossa.
Em termos de gasto em proporção do PIB, o Brasil também não faz feio e desponta na 26ª posição, coladinho com Portugal, Grécia, Suécia e Nova Zelândia.
Assim como a educação pública, a saúde pública no Brasil custa muito caro e não entrega um serviço proporcional ao investimento. Em bom português: pagamos por um serviço europeu e recebemos um subsaariano.

Via lavajatonews.com