O maior ídolo do país não é um artista, esportista ou governante, mas sim um juíz federal.


Bernardinho tem quase 8% dos votos para o governo do Rio de Janeiro, segundo o Instituto Paraná.

João Amoêdo, fundador do Partido Novo, que quer candidatá-lo, escreveu na Folha de S. Paulo:

“Vivemos hoje em uma sociedade onde políticos poderosos estão na cadeia e milionários presos. Isto não quer dizer que todos foram devidamente penalizados, mas é uma realidade inimaginável há alguns anos.

O maior ídolo do país não é mais um artista, esportista ou governante, mas sim um juiz de primeira instância.

Há uma crescente percepção de que a participação e o engajamento político é indelegável e fundamental para a prosperidade da nação.

 

Assuntos como a privatização de empresas ícones, como a Petrobras, podem ser discutidos e defendidos. A antiga desculpa de que são setores estratégicos e portanto deveriam pertencer ao Estado não é mais aceita facilmente. Ficou evidente que, controladas pelo Governo, são utilizadas para projetos políticos, resultando em uma gestão ineficiente e corrupta, sem qualquer benefício para o cidadão.

A população começa a entender que o Estado, pela forma como atua, é o nosso maior inimigo. Ele consome nossa poupança, nos impõe uma alta carga de impostos e devolve muito pouco em troca. Fica claro que o inchaço da máquina pública visa prioritariamente atender os interesses da classe política e dos burocratas do governo e não do cidadão (…).

Enfim, estamos ainda em período difícil e de transição, não poderia ser diferente com o péssimo legado deixado pela administração petista, mas podemos ser otimistas. Sairemos desse processo mais preparados e conscientes para fazermos as escolhas corretas em 2018, colocando o Brasil no rumo do desenvolvimento sustentável”.

Fonte: O Antagonista e JORNAL DO PAÍS