Para Ministério Público, há indícios de que Witzel tinha ciência de contratos superfaturados na Saúde.

Em despacho que autoriza busca e apreensão na casa do Governador Wilson Witzel,do Ministro Benedito Golçaves, do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), consta que há “provas robustas” que liga a primeira-dama Helena Witzel ao empresário contratado para prestar serviços para Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro. O ministro também afirma que a intenção da operação é identificar se governador tinha ciência dos contratos e participava de forma ativa no esquema.

O Rio de Janeiro foi palco de mais uma operação da Polícia Federal, denominada de Operação Placebo, onde foi cumprido mandados de busca e apreensão na casa do governador, no escritório da primeira-dama, e nas empresas contratadas para prestar serviços de saúde para o Estado.