Para reverter sentença, Lula prepara manifestação à ONU e foca convite de Bolsonaro a Moro

Ex-presidente buscará ajuda do Comitê de Direitos Humanos da ONU a fim de mostrar que Moro agiu por motivações políticas em seu caso.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que se encontra preso desde o dia 7 de abril, tentará reverter sua prisão com uma manifestação ao Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU). Logo após o juiz federal Sergio Moro aceitar o convite de Jair Bolsonaro para assumir o superministério da Justiça, Lula resolveu reagir ao Comitê.

A manifestação à ONU está sendo preparada pela defesa do ex-presidente. O objetivo é focalizar na decisão de Moro e pedir ajuda ao Comitê. Lula foi está preso na carceragem da Polícia Federal, em Curitiba, Paraná. O petista se tornou réu em ações penais e foi condenado por Sergio Moro.

Lula responde pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Em justificativa ao pedido na ONU, Lula irá alegar que Sergio Moro agiu por motivação política ao decretar a sentença do ex-presidente. Além do mais, segundo o deputado do PSOL Glauber Braga, o presidente eleito Jair Bolsonaro teria recompensado Moro, dando-lhe um ministério.

Em 2016, a defesa de Lula já havia procurado ajuda na ONU. Na época, alegaram que Sergio Moro poderia projetar uma carreira na política. Um dos tópicos ainda apontava que Sergio Moro poderia se tornar candidato à presidência da República nas próximas eleições.

O juiz federal sempre negou entrar para a carreira política, no entanto, aceitou o convite de Bolsonaro enfatizando que um dos requisitos para compor o ministério seria adotar medidas de combate a corrupção.

Autor de pedido de impeachment de Dilma é contra decisão de Moro
Um dos autores do pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff posicionou-se contra a decisão do juiz federal de Curitiba. Miguel Reale disse que Moro era uma figura “não contaminada”. Porém, agora o juiz teria que “perder tempo” justificando que suas decisões não foram políticas.

Jair Bolsonaro deixou no ar que Moro pode assumir uma vaga no Supremo Tribunal Federal. Com a aposentadoria de Celso de Mello e Marco Aurélio Mello, o juiz pode ser o escolhido para a cadeira. Bolsonaro, durante mandado, poderá indicar até dois nomes para compor a Corte.

Sergio Moro
O juiz federal ganhou notoriedade pela forma de conduzir as investigações da Lava Jato. Moro colocou na cadeia grandes nomes da sociedade, incluindo empresários e políticos. O magistrado foi reconhecido internacionalmente e realizou palestras sobre o tema corrupção em outros países.

Via: Blastingnews

Compartilhe em Suas Redes Sociais