Pedido de Lula por “transmissão ao vivo” de seu depoimento a Moro é puro teatro

O ex-presidente Lula quer que seu depoimento ao juiz Sergio Moro, remarcado para o próximo dia 10, seja transmitido ao vivo. O pedido ainda não foi feito oficialmente. A intenção de Lula, segundo interlocutores, é evitar que haja “vazamento seletivo” de trechos de seu interrogatório que será conduzido pelo juiz federal da Lava Jato em primeira instância.

O depoimento do petista estava marcado, inicialmente, para o dia 3, mas foi adiado por Moro que atendeu a pedidos da Secretaria de Segurança Pública do Paraná e da Polícia Federal. As duas corporações alegaram necessidade de mais tempo para montar aparato de segurança diante de manifestações populares que deverão ocorrer nos arredores do prédio-sede da Justiça Federal em Curitiba, base da Lava Jato e onde fica o gabinete de Moro.

O ex-presidente considera que Moro “não tem provas suficientes” contra ele no processo do triplex e pretende, no depoimento, se capitalizar politicamente. Para variar, Lula está apenas jogando para a platéia. Ele sabe que não existe a menor hipótese de transmissão ao vivo de um depoimento judicial. Mesmo se existisse a possibilidade, o juiz Sérgio Moro não tem competência na escala jurídica para tomar uma decisão desse tipo. Se Lula fosse inocente, não colocaria tanta banca – simplesmente iria até o juiz Moro e explicaria suas razões. Mas sua defesa é dizer que não há provas, que ninguém jamais lhe deu flagrante roubando e que está sendo perseguido politicamente, para evitar que volte ao poder. Parece uma edição ao vivo da Zorra Total, com uma piada atrás da outra.

O texto é do site Tribuna da Internet.