Perfis em redes sociais são suspeitos de fazerem propaganda eleitoral paga para o PT

Com evidências fortes, as suspeitas também chamam a atenção pelo fato de perfis terem sido contratados para ser pró-PT.

Duas agências têm fortes e praticamente inegáveis indícios de que tenham, de maneira secreta e ilegal, feito propaganda eleitoral para o PT (Partido dos Trabalhadores), são elas a Lajoy e a Follow; em matéria, a Folha citou apenas a Lajoy enquanto que o jornalista Diego Escosteguy não só citou a Lajoy como também a Follow, outra agência que suspeita-se ter agido nos bastidores.

O caso da Lajoy veio à tona após a denúncia de uma jornalista militante da esquerda Paula Holanda, influenciadora digital, que denunciou o ocorrido por sua conta no Twitter neste sábado (25) à noite. A agência teria lhe oferecido dinheiro para postar coisas da esquerda.

Segundo informações, a própria jornalista disse ter aceitado escrever os tweets pró-esquerda. Paula observou que estes tweets eram a favor da presidente do PT Gleisi Hoffmann e do governador Luiz Marinho este, candidato a governador por São Paulo.

Paula Holanda teria se negado a escrever favoravelmente quando pela 3ª vez lhe foi pedido pela agência que escrevesse a favor de Wellington Dias, que é candidato a reeleição como governador no estado do Piauí – após isso, a mesma afirmou ter percebido que não estava apenas atuando pela pauta da esquerda, mas sim por candidaturas.

Agência teria pago jornalista para falar favoravelmente aos petistas Gleisi, Luiz Marinho e Wellington Dias
Os tweets segundo a fonte não informavam ser pagos como também não exibiam nenhuma informação, seja da empresa e do político que contratou, por questões óbvias, porém a prática é ilegal segundo consta na legislação eleitoral.

Os tweets a favor de Gleisi e Luiz Marinho pareceram estar “ok” para a jornalista, no entanto a gota d’água para a mesma foi ter que ser favorável ao então governador do Piauí, Wellington Dias.

Via rede social, Paula Holanda disse não ter nenhuma ligação com o Piauí e afirmou não o conhecer. Paula reafirmou sua posição tendo pesquisado rapidamente a opinião pública da esquerda, foi ai que a jornalista teria descoberto que Dias não foi um ‘bom governador’, e Holanda teria lido que Wellington teia sucateado e militarizado a educação além de ter silenciado as mulheres.

A ação pró-PT da agência Lajoy e a suspeita de envolvimento da ‘Follow’ nos bastidores
Ainda via rede social, a jornalista apontou que o que teriam lhe passado era que seria uma ação da esquerda com pautas feministas, negras e LGBT. Holanda diz se sentir ter tido feito uma campanha sem ter sido avisada.

Com as declarações de Paula Holanda, alguns perfis apagaram seus tweets já outros apenas admitiram ter sido contratados para fazer comentários positivos dos candidatos referidos.

Quanto a agência Follow, o jornalista Diego Escosteguy afirmou ter tido acesso a emails, destes emails representantes da Lajoy indicaram ser subcontratados da Follow, o que indicavam pagamento e sigilo também mencionando a esquerda política.

Via: blastingnews

Compartilhe em Suas Redes Sociais