Polícia Federal toma ação contundente e Sérgio Moro ‘dribla’ petistas

Juiz federal Sérgio Moro participou de programa de entrevistas tradicional da televisão brasileira, na noite desta segunda-feira (26), em São Paulo.

O juiz federal Sérgio Moro, titular da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no Paraná, foi o convidado de honra do programa “Roda Viva”, da TV Cultura, na noite desta segunda-feira (26), em São Paulo. Entretanto, apesar da grande repercussão da entrevista contundente do magistrado responsável pela maior operação anticorrupção da história do Brasil, Operação Lava Jato, um fato acabou não passando despercebido, momentos antes da participação no programa de televisão.

Deslocamento sob ‘tensão’ aos estúdios de emissora
Momentos anteriores da participação do magistrado paranaense no clássico programa televisivo da TV Cultura, algumas manifestações, tanto por parte de apoiadores do juiz Sérgio Moro, quanto por parte de manifestantes contrários ao magistrado que conduz a Operação Lava Jato, estiveram no local.

Os manifestantes contrários ao juiz paranaense eram apoiadores do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. Ambos os grupos antagônicos que se encontravam próximos à portaria da emissora paulista entoavam gritos.

Entretanto, com o propósito de tentar “constranger” o juiz Sérgio Moro, manifestantes contrários a ele tentavam burlar a segurança da rede de televisão. Porém, numa ação rápida e eficaz de agentes da Polícia Federal, dois veículos Pajeros com vidros escuros se dirigiram à rua localizada atrás dos estúdios da TV Cultura por volta das 20:55. Em um dos veículos, estava o juiz Sérgio Moro, que adentrou ao local da emissora, sem qualquer tipo de problema, aguardado pelos agentes federais. Ao tomarem ciência de que Moro estava dentro dos estúdios da emissora, os manifestantes petistas silenciaram os protestos na portaria principal da TV Cultura.

Durante a participação de Moro, o magistrado fez uma defesa enfática da manutenção da prisão em segunda instância para condenados, após esgotados os recursos judiciais nos tribunais, como ocorre na atual jurisprudência decidida pelo Supremo Tribunal Federal (STF), em meados de 2016. As palavras de Sérgio Moro serviram como uma nova “pressão” sobre os ministros da Suprema Corte, que podem analisar novamente esse entendimento. Segundo Sérgio Moro, se isso vier a ocorrer, deverá ser algo extremamente “desastroso” para o País e grande “retrocesso” no combate a crimes de “colarinho branco”, relacionado às grandes corrupções por parte de autoridades políticas.

 

Via: blastingnews

Gostou? Compartilhe!
  • 4.7K
  • 1
  •  
  •  
  •  
    4.7K
    Shares