Ligue-se a nós

Casos de Policia

Policiais militares da Bahia ameaçam fazer greve após a morte do soldado Wesley Góes

Publicado

no

No último domingo (28,) o soldado Wesley Góes foi morto após uma mobilização individual em protesto pelos trabalhadores que estão sendo impedidos de trabalhar. 

Wesley Góes fazia parte da 72ª CIPM de Itacaré há cerca de 4 anos e era solteiro. Com o rosto inteiramente pintado nas cores verde e amarelo, Wesley se dirigiu a região do Farol da Barra, localizado na Bahia, e disparou tiros para o alto e vários gritos.  

Segundo o site Portal BR7, o soldado gritava informando que não iria permitir que violassem a dignidade humana do trabalhador. 

Confira: 

https://twitter.com/PATRIOT72012499/status/1376385106705854473?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1376385106705854473%7Ctwgr%5E%7Ctwcon%5Es1_c10&ref_url=https%3A%2F%2Fwww.portalbr7.com%2F2021%2F03%2F29%2Fpoliciais-militares-da-bahia-ameacam-entrar-em-greve-apos-a-morte-do-soldado-wesley%2F

A negociação de Wesley Góes com as equipes do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) durou mais de 3 horas, até que o soldado foi atingido com vários tiros e veio a falecer.  

A Secretaria de Segurança Pública, da Bahia (SSP-BA), por sua vez, alegou que o BOPE só reagiu após Wesley ter disparado com um fuzil contra os policiais. 

Você pode gostar de: Urgente: Ernesto Araújo pede demissão do Ministério de Relações Exteriores

O caso tem atingido uma enorme repercussão e no momento, ainda de acordo com o Portal BR7, os policiais militares do Estado da Bahia, estão estudando a possibilidade de uma greve no estado. 

O movimento foi convocado pelo deputado Marco Prisco (PSC), PM-BA da reserva, para acontecer nesta segunda-feira, por voltas das 9 horas da manhã.  O deputado acusou os agentes envolvidos na ação de terem assassinado um colega de profissão. 

Nas palavras de Prisco, eles mataram um policial, um trabalhador e completou dizendo: “Mataram um trabalhador, um pai de família, todo mundo viu. O cara foi assassinado. Quando é vagabundo, a gente se joga na frente, como aconteceu na orla. Não é dessa forma”. 

Confira um dos momentos de revolta da população no vídeo a seguir: 

Você pode gostar de: Tragédia na Bahia: PM diz que não quer ”prender trabalhadores”, entra em conflito com outros PMs e acaba sendo morto

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.