Presidente do Supremo toma decisões ‘estranhas’ quanto a dois ministros da Corte

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) ministra Cármen Lúcia teria atuado de modo diferente em relação a duas denúncias dirigidas contra o ministro do Supremo Gilmar Mendes e o ministro-relator da Operação Lava Jato Luiz Edson Fachin. As reações de Cármen Lúcia foram consideradas bem distintas em relação aos dois magistrados. Há a suspeita de que os juízes tomem decisões de acordo com seus interesses e com suas próprias conveniências.

Vale ressaltar que um caso se refere à acusação que se trata da reforma de um apartamento relacionado ao ministro Antônio Dias Toffoli, que acabou sendo algo ignorado pela presidente do Supremo Tribunal Federal (#STF).

Dois ministros: reações distintas

Na última semana, a ministra Cármen Lúcia teria agido de forma diferente a respeito de dois colegas do Tribunal. O mais intrigante é que quando veio à tona a denúncia em que o ministro-relator da Operação #Lava JatoLuiz Edson Fachin havia sido alvo de investigação por parte da ABIN (Agência Brasileira de Inteligência), a presidente da Suprema Corte reagiu prontamente a favor do magistrado, no episódio que suscitou enorme polêmica em todo o país, em um escândalo que foi considerado uma suposta “espionagem” dirigida a um ministro do STF. A ministra chegou a afirmar, por meio de uma nota, que seria algo “inadmissível a prática de um gravíssimo crime contra o Supremo Tribunal Federal”.

Via saudefamilia.com