Presidente do TSE, Luiz Fux, faz afirmação contundente sobre a situação de Lula

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e membro integrante do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, se manifestou de modo contundente, em relação às tentativas do PT e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em tentar se firmar como candidato à Presidência da República neste ano.

Luiz Fux foi taxativo, em se tratando da iniciativa dos advogados de defesa do ex-presidente Lula, em se tratando do próximo pleito eleitoral, cuja votação será em 07 de outubro deste ano. O ex-mandatário petista tenta, a todo custo, concorrer ao Palácio do Planalto. Entretanto, o mesmo encontra-se preso na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, no Paraná.

Lula foi preso no âmbito das investigações da Operação Lava Jato, por ordem do juiz Sérgio Moro. O petista foi condenado por crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele cumpre uma pena estimada em mais de doze anos de cadeia em regime fechado. Vale lembrar que Lula foi acusado de receber vantagens ilícitas, em se tratando de um imóvel no litoral de São Paulo, obtido por meio de dinheiro ilegal oriundo de empreiteiras envolvidas no escândalo de corrupção da Petrobrás. Mesmo assim, tenta de todas as maneiras, concorrer ao mais alto cargo do país; o de presidente da República.

Resposta de presidente do TSE preocupa Lula
Ao comentar a atual situação envolvendo o ex-mandatário petista, o presidente do TSE foi taxativo. De acordo com Fux, o mesmo não pretende “personalizar”. Entretanto, “sempre afirmou que candidato condenado em segunda instância é inelegível, portanto, não poderia como candidato passível de ser eleito”. As palavras do presidente da mais alta Corte eleitoral acabaram por “jogar um verdadeiro balde de água fria” em Lula.

O PT possui como pretensão ainda, registrar a candidatura de Lula, sem apresentar certidão de antecedentes criminais, principalmente, em relação ao caso do Tríplex do Guarujá., segundo o site G1. Os advogados do petista deverão alegar que o ex-mandatário possui domicílio eleitoral em São Bernardo do Campo (SP). Porém, a condenação que o torna inelegível por força da Lei da Ficha Limpa, foi de Sérgio Moro em Curitiba. Foi também confirmada pelo TRF4, em Porto Alegre.

Fonte: ANTAGONISTA e Brasil no Ato

     

Gostou? Compartilhe!

  • 5.1K
    Shares