Procurador da Lava Jato, Carlos Fernando surpreende e revela afastamento da força-tarefa

Carlos Fernando dos Santos Lima é considerado um dos principais procuradores da força-tarefa de investigação da Operação Lava Jato.

Um dos principais membros integrantes da força-tarefa de investigação da Operação Lava Jato [VIDEO] decidiu se afastar da operação. Carlos Fernando dos Santos Lima foi contundente ao decidir se desligar da maior operação anticorrupção já implementada em toda a história contemporânea do país e uma das maiores já desencadeadas em todo o mundo.

Vale lembrar que a força-tarefa é conduzida em primeira instância pelo juiz Sérgio Moro, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no Paraná. O procurador Carlos Fernando dos Santos Lima é considerado um dos mais atuantes e destacados membros da força-tarefa baseada na capital do Paraná.

Afastamento da força-tarefa de investigação

Um dos principais motivos alavancados pelo procurador Carlos Fernando é a proximidade de seu período de aposentadoria. Carlos Fernando tem 54 anos de idade e deve iniciar sua aposentadoria já no início do ano que vem. Vale ressaltar que o procurador da Lava Jato revelou que preferiu se manter afastado de investigações relacionadas a informações sensíveis que decorrem no âmbito da força-tarefa.

Entretanto, o membro do Ministério Público Federal foi enfático ao considerar seu retorno à Procuradoria Regional da República, no Estado de São Paulo. Ele deverá manter seu trabalho por meio de atuação no âmbito do TRF (Tribunal Regional Federal) até que seja iniciada a sua aposentadoria. Outro fato de relevância é que o procurador Carlos Fernando decidiu se afastar da força-tarefa da Lava Jato restando apenas poucos dias para o primeiro turno eleitoral, em 07 de outubro próximo.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

Desde a semana passada, Lima não participa de atividades relacionadas à força-tarefa de investigação da Operação Lava Jato. Porém, o grupo de apuração deve ter prosseguimento nas investigações, contando com 13 integrantes, de acordo com informações repassadas pelo Ministério Público Federal. Entretanto, não há, até o presente momento, uma confirmação relacionada a quem deverá ser o substituto de Carlos Fernando dos Santos Lima. Apregoa-se que o substituto do procurador seja um dos mais experientes do grupo de investigação e que teria atuado nos primeiros acordos de colaboração premiada do Brasil, ainda sem uma confirmação oficial.

Carlos Fernando ressaltou que “foram quatro anos e meio de trabalho intenso na força-tarefa de trabalho da Operação Lava Jato, cumulado com a totalidade da sua função na Procuradoria Regional de São Paulo”. O procurador foi ainda mais longe ao afirmar que entende que “seria preciso haver um afastamento de informações consideradas sensíveis às investigações, porém, sendo substituído e o trabalho deverá continuar no mesmo ritmo”. Ao ser questionado sobre se teria algum tipo de interesse em entrar para a vida pública, o mesmo ironizou ao dizer que não se impressiona “por moscas azuis, já que o futuro seriam palestras, aulas e advocacia”.

Via: blastingnews

Compartilhe em Suas Redes Sociais