Procurador da Lava Jato desmonta tese de Temer de que não há provas

Carlos Fernando dos Santos Lima, procurador da força-tarefa da Lava Jato de Curitiba, descreveu os fatos em seu Facebook e desmontou a tese do presidente Michel Temer de que não há provas.

Confira na íntegra:

1. Joesley combina com Rodrigo Rocha Loures a conversa com Temer.
2. Rodrigo Rocha Loures orienta Joesley a ir no Palácio do Jaburu no final da noite e apresentar-se na guarita sob nome falso.
3. Joesley é admitido no Palácio do Jaburu, residência de Temer, altas horas da noite, sem que a segurança tenha se preocupado em confirmar a sua identidade (o que indica que foi autorizado por alguém internamente – seja por usar um nome falso, seja pela placa do carro que usaria).
4. Joesley narra para Temer diversos crimes, que nada faz a respeito, e ainda assim Temer indica que Rodrigo Rocha Loures é seu homem de confiança para resolver problemas.
5. Joesley conversa com Rodrigo Rocha Loures sobre problemas no CADE, dentre outros.
6. Rodrigo Rocha Loures combina o pagamento de 500 mil a 1 milhão de reais semanais de propina durante 9 meses, falando agir em nome de Temer.
7. Rodrigo Rocha Loures viaja em avião da FAB para São Paulo para receber a propina combinada
8. Rodrigo Rocha Loures é filmado recebendo a mala onde estava o dinheiro, saindo correndo pela rua para pegar um taxi que já o esperava no local.
9. Rodrigo Rocha Loures deixa a mala no apartamento de sua mãe, não sem antes dela retirar o valor de 35 mil reais (possivelmente a sua comissão – 7% do valor da propina).
10. Rodrigo Rocha Loures devolve após a colaboração de Joesley a mala onde estava o dinheiro, com apenas 465 mil reais.
11. Rodrigo Rocha Loures faz um depósito para o STF dos valor que tinha retirado da mala.

Ou seja, se não há provas, então o que tem focinho de porco, orelha de porco, rabo de porco e cheira como um porco, deve ser apenas uma tomada.

Via papotv.com.br