Procuradores da Lava Jato na PGR se demitem após Dodge pedir arquivamento de trechos de delação que cita Maia e irmão de Toffoli

O grupo de trabalho da Lava-Jato na Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu demissão de seus cargos após uma manifestação de Raquel Dodge. Em nota, os membros citaram uma “grave incompatibilidade de entendimento dos membros desta equipe com a manifestação enviada pela PGR ao STF na data de ontem”.

No apagar das luzes de seu mandato, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, enviou ao STF uma manifestação pedindo a homologação da delação do empresário Léo Pinheiro, com um pedido de arquivamento prévio de trechos que mencionam o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e o irmão do presidente do Supremo Tribunal Federal.

Ouça a nota dos procuradores:

“Devido a uma grave incompatibilidade de entendimento dos membros desta equipe com a manifestação enviada pela PGR ao STF na data de ontem (03.09.2019), decidimos solicitar o nosso desligamento do GT Lava Jato e, no caso de Raquel Branquinho, da SFPO. Enviamos o pedido de desligamento da data de hoje.

Foi um grande prazer e orgulho servir à Instituição ao longo desse período, desempenhando as atividades que desempenhamos. Obrigada pela parceria de todos vocês. Nosso compromisso será sempre com o Ministério Público e com a sociedade”.

Veja o Vídeo.