PT admite ao STF acordo com Eduardo Cunha (veja o vídeo)

Emissários de Dilma Rousseff negociaram com o então presidente da Câmara Eduardo Cunha os votos do PT no conselho de ética, para livrá-lo da cassação. Na época isto foi aventado, mas negado por Dilma.
De qualquer forma, o acordo foi feito.
Para azar da ex-presidente, o presidente do PT ‘roeu a corda’ e não garantiu os votos ‘negociados’.
Cunha chegou a avisar o então vice-presidente da República Michel Temer, que arquivaria todos os pedidos de impeachment de Dilma Rousseff, porque houvera ‘negociado’ os três votos petistas que o livrariam da cassação.
A revelação foi feita pelo próprio Michel Temer, neste sábado (15) em entrevista à TV Bandeirantes.
Os advogados da ex-presidente vão incluir nesta segunda-feira (17) uma cópia da entrevista de Temer no processo que pede a anulação do impeachment no Supremo Tribunal Federal (STF).
‘A confissão do senhor Michel Temer é fato novo e será incluído no mandado de segurança que está tramitando no STF questionando a legalidade do processo de impeachment. É a prova de que Cunha abriu o processo por vingança’, disse o advogado José Eduardo Cardoso.
No petitório, Cardoso admite que o PT fez um acordo que não iria cumprir. Noutras palavras, tentou o partido engabelar Cunha. Não conseguiu.
O episódio revela o ambiente promíscuo reinante nos bastidores do poder.
A pilantragem é generalizada.
Veja o vídeo:

Créditos jornaldacidadeonline.com.br