Quem merecia a maior parte do dinheiro de La Casa de Papel?

Meritocracia deveria existir até entre criminosos

endo a segunda parte da temporada liberada em 06 de abril, a série dos assaltantes da Casa da Moeda da Espanha chegou ao fim no Brasil, celebrando o êxito do grupo, ao executarem o assalto perfeito. Mas após todos os acontecimentos, fica a dúvida: qual deles merecia a maior parte do dinheiro de La Casa de Papel?

Com maiores ou menos contribuições, todos os assaltantes protagonizaram bons momentos, com mais destaque para a segunda parte, onde as coisas realmente tomaram fôlego.

Confira o ranking abaixo!
Personagens que mereciam a maior parte do dinheiro de La Casa de Papel
Apesar de terem combinado uma divisão igualitária do valor que iriam imprimir – e considerando que ainda assim teriam dinheiro para toda a vida -, como curiosidade, vale a análise de suas atitudes dentro da Casa da Moeda.

1º Nairóbi


Nairóbi, a personagem com uma infância difícil, que teve que ganhar a vida fazendo falsificações desde cedo, trabalhou desde o primeiro momento em La Casa de Papel, ganhando inclusive o respeito dos reféns, e fazendo de tudo para ​imprimir os 2,4 bilhões de euros.

Mesmo se envolvendo em algumas brigas dentro da Casa da Moeda da Espanha, Nairóbi certamente é a personagem que merecia a maior parte do dinheiro de La Casa de Papel.

2º El Profesor


El Profesor, apesar de “quase perfeito”, também cometeu alguns erros graves, especialmente o de se envolver com Raquel Murillo, e quase botar tudo a perder em alguns momentos.

Mas considerando suas sacadas geniais para se livrar de algumas situações, o Professor também é destaque na divisão imaginária de dinheiro proposta aqui neste post.

3º Berlim e Tóquio


Berlim e Tóquio, para mim, se encaixam no mesmo patamar da divisão. Ambos foram responsáveis pelas maiores “tretas” da série, mantendo uma rivalidade desde o começo.

Tóquio, em seus atos impensados, colocou tudo a perder algumas vezes, mas também não podemos esquecer, que sua ideia de usar a metralhadora quando a polícia estava pra conseguir invadir a Casa da Moeda, salvou todo o grupo.

Enquanto Berlim, se mostrou um grande líder no começo, onde até mesmo sua prepotência conquistou o público, mas esse mesmo ego, também fez com que ele arriscasse o plano do Professor – especialmente quando mandou que Denver matasse a Mónica ou quando começou a ‘surtar’, entre outras atitudes.

No fim, os dois tiveram atos, digamos, heroicos, pra desfazer um pouco de seus erros.

4º Denver


Quem concorda que uma das cenas mais tristes de La Casa de Papel foi a que perdemos Moscou, o pai de Denver? (entrou um cisco no meu olho naquele momento).

Então, não necessariamente por merecimento por fazer algo surpreendente, mas Denver merecia nadar em dinheiro, como fez no primeiro episódio da série, ficando com a parte de seu pai e aproveitando a fortuna com Mónica.

5º Helsinque


Mais um cisco no olho, ao ver a cena em que Helsinque deixa Oslo descansar em paz. Os dois foram os mais profissionais da série, na minha visão, mas infelizmente protagonizaram poucos momentos. De qualquer forma, Helsinque merecia um pouco a mais do dinheiro de La Casa de Papel.

6º Rio


Não podemos nos esquecer, é claro, que Rio, o mais jovem do grupo, teve um papel extremamente importante no assalto, cuidando de tudo o que envolvia tecnologia. Mas ele estava na jogada por motivos que até ele mesmo desconhecia.

No fim, sua permanência foi resumida à Tóquio e seus atos que colocaram todo o plano em risco diversas vezes, tanto que foi o primeiro a ter sua identidade revelada. Portanto, ele ocupa o a berlinda do ranking.

Via: universoestendido.com.br

   

Gostou? Compartilhe!

  • 1K
    Shares