Recado para Moro: após Dirceu, Supremo manda soltar outro amigo de Lula, José Carlos Bumlai

Em seminário, o ex-presidente Lula diz querer provas contra ele e que está com vontade de brigar.
Após solicitar que oito investigações baseadas nas delações da Odebrecht não sejam enviadas ao Juiz Federal Sérgio #Moro, responsável pela operação Lava Jato em primeira instância, o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva aumentou a ênfase em seu discurso com ares desafiadores no seminário “Estratégia para a Economia Brasileira, desenvolvimento, Soberania e Inclusão”, evento organizado pelo Partido dos Trabalhadores com verba do fundo partidário.

José Carlos Bunlai já tinha escapado da prisão e nessa terça-feira até a sua amena prisão domiciliar foi revogada por ordem do Supremo Tribunal Federal. Pecuarista Bunlai é um dos maiores amigos do ex-presidente Lula e sua libertação vem logo após os rumores de soltura, também por ordem do STF de outro companheiro do Chefão: José Dirceu. Parece ser um evidente recado para Moro vindo em respostas aos fortes rumores que a prisão de Lula pode ser decretada a qualquer momento. A soltura de dois dos petistas do alto escalão que se manterão leais ao partido serve também como um recado a Palocci que vinha ameaçando fazer delação.

Bumlai foi condenado pelo juiz Sergio Moro a nove anos e dez meses de reclusão, porem graças a seus advogados (e aliados) estava aproveitando os benefícios de mera prisão domiciliar pelos últimos sete meses, enquanto aguardava o julgamento de um recurso em segunda instância. O Supremo decidiu intervir, alegando que prisão preventiva já dura muito tempo, ignorando assim as provas esmagadoras e possibilidade de iminente dano as mesma através de obstrução da justiça que a soltura de Bunlai proporciona.

Via cesar weis