Sérgio Moro acaba com ‘festa’ petista e deixa Cristiano Zanin furioso

Juiz da Lava Jato leva petistas da alegria para a tristeza em poucos dias.

A decisão polêmica da Segunda Turma da Corte foi um golpe duro para os procuradores da Operação Lava Jato, mas a habilidade do juiz federal Sérgio Moro em se envolver com os processos foi de grande força para que não houvesse nenhum abalo nas investigações do Paraná. Um dos grandes furiosos com tudo isso foi o advogado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Cristiano Zanin.

Após a decisão da Segunda Turma, que retirou de Sérgio Moro vários trechos dos depoimentos dos ex-executivos da Odebrecht que envolvia Lula, os petistas festejaram e vibraram com a decisão.

Em uma ação rápida, antes mesmo de ser publicada a decisão dos ministros, Zanin tentou “emparedar” Moro pedindo para que o juiz envie para a Justiça Federal de São Paulo o processo do Sítio de Atibaia.

Moro se recusou a atender o advogado e disse que existem muitas outras provas que foram conquistadas muito antes das delações dos ex-executivos e que o ministro Dias Toffoli, relator do processo, não havia tirado a competência dele para julgar o caso.

Zanin e Lula se revoltaram com a postura de Moro. O ex-presidente chegou a escrever uma carta da prisão insinuando que Moro está confrontando uma decisão da Corte, o que o deixava totalmente perplexo.

Dinheiro bloqueado
Para tentar pressionar Moro, Zanin usou um outro artifício e pediu que o juiz desbloqueasse o dinheiro dos fundos de previdência do seu cliente, pois só assim Lula poderia pagar os advogados.

Moro afirmou que desbloquearia tudo se fossem dadas a ele provas de que o dinheiro foi ganho sem corrupção. O magistrado quer saber se as palestras do petistas aconteceram mesmo e saber se o dinheiro que pagou as palestras veio legalmente.

A decisão do juiz foi considerada como um contra-golpe ao pedido do advogado. Da mesma forma que Lula afirma ser inocente e que o juiz não tem nenhuma prova conta ele, Moro quer também que Lula prove de onde vieram os milhões nos seus fundos de previdência.

Decisão de Toffoli
O ministro Dias Toffoli decidiu nesta quinta-feira (03) que Moro continuará com o processo de Lula. Foi mais uma derrota para os petistas e muito mais dolorosa ainda, já que Toffoli sempre foi considerado um ministro que tinha decisões a favor de Lula.

Para Toffoli, o pedido da defesa de Lula ultrapassa o que foi decidido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e, portanto, não tem plausibilidade jurídica.

Toffoli ressaltou que em nenhum momento da sessão da Segunda Turma foi decidido retirar de Sérgio Moro a sua competência no processo do Sítio.

Via: blastingnews

     

Gostou? Compartilhe!

  • 11.1K
    Shares