Sergio Moro anuncia ‘Plano Real’ contra alta criminalidade

Futuro ministro participou do Simpósio Nacional de Combate à Corrupção e anunciou proposta para primeiro ano à frente da Justiça.

O ex-juiz federal Sergio Moro, que agora assumirá o comando do superministério da Justiça no Governo de Jair Bolsonaro, anunciou nesta última sexta-feira, 23 de novembro, que irá enviar, já no primeiro ano do próximo governo, um projeto de lei contra corrupção.

No anúncio, o futuro ministro declarou que o projeto está em fase de “gestação” e será uma espécie de “Plano Real” contra a alta criminalidade do Brasil.

Sergio Moro esteve no Simpósio Nacional de Combate à Corrupção realizado pela FGV Direito, do Rio de Janeiro.

Além do mais, Moro aproveitou a ocasião para dar aceno aos deputados eleitos presentes, pedindo voto para a aprovação do projeto.

“É importante iniciar um círculo virtuoso de reformas no Judiciário”, disse o futuro ministro.

O ex-juiz defende replicar o modelo de forças tarefas focadas em combate à corrupção, mas também defendeu mudanças no processo de investigação criminal.

Moro afirmou que pequenas mudanças podem fazer grandes diferenças ao dizer que há pontos de “estrangulamento” no processo penal.

Outro ponto levantado por Moro é a proibição da progressão de regime de pena para presos que pertencem a organizações criminosas.

O ex-juiz também citou regular operações de policiais disfarçados, algo que já ocorre em outros países.

Moro ainda alertou de que há pensamentos de que alguns crimes são doenças do país, sem possibilidade de reversão.

Seja sempre o primeiro a saber. Baixe o nosso aplicativo gratuito.

O futuro ministro diz que tudo isso é falso.

Moro está exonerado do cargo desde o dia 19

O ex-juiz federal pediu exoneração do cargo de juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba, Paraná.

Moro aceitou o convite do presidente eleito Jair Bolsonaro em ocupar o cargo de ministro no superministério da Justiça.

Sergio Moro diz que durante seu mandato evidenciará temas como o combate a corrupção, a lavagem de dinheiro e as organizações criminosas.

Enquanto juiz, Moro ganhou grande notoriedade por colocar grandes nomes da sociedade na cadeia.

Dentre eles, o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, que está preso desde 7 de abril de 2018.

Processos de Lula

Agora que Moro assumirá o ministério, a juíza Gabriela Hardt, da 13ª Vara Federal de Curitiba, ficará à disposição dos processo da Lava Jato, incluindo então processos relacionados a Lula.

Neste último dia 14, a juíza ouviu depoimento do ex-presidente sobre o processo que envolve um sítio em Atibaia, interior de São Paulo.

No momento, o processo avança e a juíza substituta poderá dar a sentença final sobre o caso.

Via: Blastingnews

Compartilhe em Suas Redes Sociais