Sérgio Moro Decreta Quebra Do Sigilo Bancário E Sequestro De Dinheiro De Operadores Do PMDB

juiz Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância, determinou a quebra de sigilo bancário e o sequestro de valores mantidos em pelo menos cinco contas no exterior dos operadores financeiros Jorge Luz e do filho dele, Bruno Luz.

A decisão foi publicada no sistema eletrônico da Justiça Federal do Paraná segunda-feira (3).

 

“Além das provas, em cognição sumária, do envolvimento de Jorge Luz e Bruno Gonçalves Luz em seis episódios de corrupção e lavagem, o MPF constatou que ambos são controladores diretos ou indiretos de empresas que receberam valores vultosos de empresas envolvidas no esquema criminoso que vitimou a Petrobrás”, disse Moro na decisão.

A medida, conforme o juiz, abrange a “obtenção de todos os documentos relativos às contas, cadastros, documentos de abertura, extratos, ordens de pagamento, comunicações entre banco e clientes, formulários de compliance, e especialmente a identificação de todas as transações”.

Jorge e Bruno Luz são apontados pela Polícia Federal (PF) e pelo Ministério Público Federal (MPF) como operadores financeiros ligados ao PMDB no esquema de corrupção e desvio de dinheiro dentro da Petrobras.

Eles foram presos na 38ª fase da Lava Jato e são réus na Lava Jato. Além dos dois, que estão presos na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, outras sete pessoas também são citadas na ação penal. Eles foram denunciados pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

Conforme Moro, a denúncia relaciona vários contratos da Petrobras, ligados à Área Internacional, nos quais teria havido pagamento de vantagem indevida a agentes da Petrobras ou a agentes políticos.

Via noticiasbrasilonline.com.br

   

Gostou? Compartilhe!