Sergio Moro emite nota com razões para assumir Ministério da Justiça no governo Bolsonaro

Juiz responsável pela Operação Lava Jato, Sérgio Moro, aceitou convite para comandar Ministério da Justiça e Segurança Pública no próximo governo.

O juiz Sérgio Moro, titular responsável pela condução da maior operação anticorrupção em toda a história contemporânea brasileira; a Operação Lava Jato, da Polícia Federal, aceitou o convite do presidente eleito Jair Messias Bolsonaro, para que viesse a assumir o comando da pasta do Ministério da Justiça e da Segurança Pública no país, a partir do próximo governo que se inicia em janeiro de 2019. Vale ressaltar que o magistrado paranaense é o titular da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná, em primeira instância.

O juiz paranaense é o quinto ministro anunciado pelo presidente eleito Jair Bolsonaro.

Outros quatro ministros já haviam sido anunciados; como o deputado Onix Lorenzoni, para o Ministério da Casa Civil, o general Augusto Heleno, para o Ministério da Defesa, o economista Paulo Guedes, para o Ministério da Economia e o astronauta Marcos Pontes, para o Ministério da Ciência e Tecnologia.

Avanços contra o crime e a corrupção
O juiz Sérgio Moro se reuniu com o presidente eleito Jair Bolsonaro, na manhã desta quinta-feira (01), na residência do político, na cidade do Rio de Janeiro. O magistrado paranaense chegou à casa de Bolsonaro, por volta das 9 horas da manhã. Após a realização do encontro entre os dois, Moro afirmou que se sentiu “honrado” pelo convite feito. Entretanto, o juiz disse que aceitava o cargo de ministro com um “certo pesar”, por ter que abandonar 22 anos de trabalhos realizados a frente da magistratura.

Sérgio Moro emitiu uma nota oficial que foi divulgada pela imprensa, em que o magistrado paranaense escreve que “a perspectiva de se fazer a consolidação de uma agenda de avanços contra o crime organizado e a corrupção dos últimos anos no país, decorre do intuito de se afastar riscos de retrocessos por um bem maior”, segundo a nota emitida.

Moro afirmou ainda que a força-tarefa da Operação Lava Jato terá prosseguimento em Curitiba com os “valorosos juízes locais”. O juiz disse, no entanto, que já deverá se afastar das novas audiências da operação de combate à corrupção, sediada a partir da capital paranaense. O presidente eleito escreveu em seu perfil oficial de rede social no Twitter, que Sérgio Moro aceitou o convite para o Ministério da Justiça e Segurança Pública e que “sua agenda anticorrupção, anti-crime organizado, bem como o respeito inerente à Constituição Federal e às leis, será o norte do novo governo”, segundo Bolsonaro.

O juiz Sérgio Moro, após se reunir com o presidente eleito Bolsonaro, afirmou que na próxima semana deverá conceder uma entrevista coletiva para sar mais detalhes a respeito do acordo para que assuma o ministério na nova gestão do país.

Via: blastingnews

Compartilhe em Suas Redes Sociais