Sérgio Moro ‘enfrenta’ Gilmar Mendes e mostra ‘quem manda’


Juiz determinou transferência de Sérgio Cabral e contrariou decisões anteriores do STF.
Conforme decisão divulgada hoje (18/01), o juiz federal Sérgio Moro, titular da 13ª Vara Federal de Curitiba – PR, determinou a transferência do ex-governador do estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, para o estado do Paraná, para que fique preso com outros ‘condenados’ da Lava Jato, no estado do Paraná.

Decisões ‘contraditórias’
Embora a decisão do juiz federal Sérgio Moro esteja baseada em ‘novos pedidos’, desta vez feitos também pelo Ministério Público Federal (do Paraná), importante observar que pedidos semelhantes já haviam sido feitos ao juiz federal Marcelo Bretas, que julga os cados da Lava Jato (assim denominados) no Rio de Janeiro – RJ, sendo que o ministro do STF Gilmar Mendes, concedeu habeas corpus a Sérgio Cabral, proibindo a transferência para um Presídio federal.

‘Ameaça’ a Marcelo Bretas
Quando o juiz Marcelo Bretas determinou a transferência do ex-governador do estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, para um presídio federal, a pedido do Ministério Público Federal (no Rio de Janeiro), o ministro do STF, Gilmar Mendes, concedeu ordem de habeas corpus a Sérgio Cabral, para que ele continuasse no Rio de Janeiro, no presídio que já estava.

Na ocasião, a decisão de transferência ocorreu porque o ex-governado, em depoimento a juiz Marcelo Bretas, chegou a falar sobre o gasto com jóias, e disse que o juiz deveria entender disso, ‘já que a família do juiz trabalha com jóias’. Marcelo Bretas se sentiu ameaçado, chamou atenção dos advogados de Sérgio Cabral, e acolheu a manifestação do Ministério Público Federal para transferir Cabral para um presídio federal.

Porém, com o habeas corpus concedido por Gilmar Mendes, que não viu ‘ameaça’ ao juiz, Cabral não foi transferido.

Decisão polêmica
Gilmar Mendes concedeu uma ‘´serie’ de habeas corpus, e fez duras críticas a prisões antecipadas, ao punitivismo e ativismo judiciário. Porém, como é comum ocorrer, o povo ficou revoltado com Gilmar Mendes, já que (segundo o povo) para a justiça funcionar ‘pessoas devem ser presas a qualquer custo’.

Muitos chegaram a assinar um abaixo assinado com o pedido de impeachment do ministro Gilmar Mendes. Além disso, foi divulgado na Internet um vídeo de mulheres hostilizando e injuriando o ministro no exterior, que não revidou.

Decisão de Sérgio Moro
Conforme divulgado em O Globo, o juiz Sérgio Moro proporcionou a manifestação do juiz da 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro (Marcelo Bretas), já que este também cuida de processos do ex-governador. Porém, a juíza substituta (já que Bretas está de férias), concordou com a transferência. Segundo consta, os pedidos foram formulados, tanto no RJ quanto no PR. O MPF diz que Cabral tem ‘regalias’ no presídio. 

 

Via: blastingnews