Situação pesada: STF sofre ataque e envelope fechado é entregue aos ministros

Presidente Cármen Lúcia toma decisão ao ver o STF emparedado por críticas e ataques.

A decisão da Segunda Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) de retirar do juiz federal Sérgio Moro, da Justiça Federal do Paraná, trechos do depoimento de ex-executivos da Odebrecht que citam o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) virou uma grande dor de cabeça para os ministros da Corte.

Uma imensidão de críticas e ataques tomaram conta daqueles que não aceitam o STF tentando enfraquecer a Operação Lava Jato no Paraná. A própria procuradora-geral da República, Raquel Dodge, comentou que vai recorrer da decisão, pois não concorda com a atitude de alguns ministros que fazem parte da Segunda Turma.

Vendo a situação ficar pesada, a ministra e presidente do STF, Cármen Lúcia, enviou aos colegas de tribunal um envelope fechado com todas as informações do levantamento que a segurança do STF realizou em referência aos ataques sofridos por magistrados através da internet.

Dois fatos que se destacam nesses envelopes são os xingamentos do promotor Ricardo Montemor, que, inclusive, já está sendo investigado pelo Ministério Público de São Paulo (MPSP), e críticas do procurador da República e coordenador da força-tarefa de Curitiba, Carlos Fernando dos Santos Lima.

Ministros do Supremo já entraram em contato com a Procuradoria-Geral da República (PGR) para que sejam tomadas decisões sobre este fato. Cogita-se abrir um inquérito no STF contra Lima.

O coordenador da Lava Jato ficou revoltado com a possibilidade de o Supremo abrir um processo contra ele e disse que tudo isso só demonstra autoritarismo e uma afronta contra a liberdade de expressão. O procurador ainda ressaltou que as decisões da Justiça devem ser cumpridas, mas não podem ser livres de serem criticadas.

Corte de segunda classe
O ex-presidente do STF Carlos Velloso, um dos nomes de grande prestígio da história do Supremo, comentou, em um almoço do Instituto dos Advogados de São Paulo, que o STF vem se transformando numa corte penal de segunda classe.

Velloso afirmou que a decisão da Segunda Turma da Corte é algo que ninguém entendeu. Ele aguarda a decisão do acórdão para ver quais os fundamentos que os ministros utilizaram. Para ele, os únicos capazes de decifrar a decisão da Segunda Turma é quem redigiu e Deus, ou, segundo ele, apenas Deus.

Procuradores revoltados
Os procuradores da Lava Jato proferiram várias críticas ao STF. Eles não concordam quando os ministros falam que a leitura de depoimentos não faria menção à Petrobras. Segundo eles, tudo é um conjunto de provas e deve ser utilizado para se chegar na melhor análise sobre as denúncias.

Via: blastingnews

     

Gostou? Compartilhe!

  • 6.8K
    Shares
 

     

Siga-nos no Twitter!