Suíça Desenterra Mais R$ 173 Milhões De Paulo Preto, Que Bate Recorde De Propinas Em Gestões Tucanas.

Segundo denúncia publicada hoje pela Folha, menos de dois meses após ter sido nomeado diretor de Engenharia da Dersa (Desenvolvimento Rodoviário S/A), Paulo Vieira de Souza, o “Paulo Preto” abriu quatro contas na Suíça no banco Bordier & Cie, em Genebra.

De acordo com um documento enviado ao Brasil pelo Ministério Público da Confederação Suíça, e entre os anos 2007 e 2009, durante o governo de José Serra (PSDB), as contas receberam “numerosas entradas de fundos”.

As quatro contas tinham um saldo de US$ 34,4 milhões – valor equivalente a R$ 121 milhões de reais, quando corrigido – Paulo Preto transferiu o montante da Suíça para as Bahamas, no início de 2017.

A movimentação se deu porque o ex-diretor da Dersa estava sob investigação das autoridades suíças que cuidam do combate à lavagem de dinheiro no país.

Apontado como afilhado político do chanceler Aloysio Nunes, Paulo Preto é operador do PSDB paulista e foi preso em abril pela Lava Jato em São Paulo. É acusado de ter desviado um montante de R$ 7,7 milhões na obra do Rodoanel Sul. Segundo delatores, a propina repassada para Paulo Preto é de R$ 173 milhões.

 

Fonte: noticiasbrasilonline.com.br