Temer Governa O País Com Presidiário De Curitiba, Diz Renan Em Plenário

Líder do PMDB, o senador Renan Calheiros (AL) fez firmes críticas em plenário às reformas estruturais do governo e à própria gestão do presidente Michel Temer, formalmente denunciado ao Supremo Tribunal Federal (STF) por corrupção passiva nesta segunda-feira (26). Repetindo o que já havia dito fora do palco principal das decisões do Senado, Renan diz que o governo não tem qualquer legitimidade para comandar o país e fez menção à ligação entre Temer e o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso e condenado há 15 anos e quatro meses de reclusão na Operação Lava Jato

“O erro do presidente Temer foi pensar que poderia governar o Brasil influenciado por um presidiário de Curitiba”, disse Renan, rodeado de senadores oposicionistas, a maioria do PT, e sem precisar citar o nome de Cunha para deixar claro a quem se referia.

 

A fala de Renan foi uma réplica à defesa do governo feita pelo líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR) – que por sua vez respondia aos ataques do próprio senador alagoano, em sua primeira intervenção contra Temer, à reforma trabalhista em tramitação no Senado. Ao reclamar do governo em nome da parcela minoritária do PMDB, Renan apelava ao presidente do Senado, Eunício de Oliveira (PMDB-CE), para que uma providência em relação à matéria fosse tomada pelo comando do Congresso, face à situação de grave crise enfrentada por Temer.

Para Renan, ou Eunício faria algo a respeito da situação ou o Senado teria de aguentar “essa gente fingindo que está governando o Brasil”.