Três governadores concordam com proposta de Bolsonaro sobre imposto estadual

Governador Flávio Dino foi contra a proposta de Jair Bolsonaro a respeito de zerar ICMS dos combustíveis, afirmando que a proposta deve ser lançada por Paulo Guedes

Sobre a proposta de Jair Bolsonaro

Três governadores disseram que podem ir de acordo com o desafio que foi lançado pelo presidente Jair Bolsonaro (que atualmente está sem partido), a fim de “zerar” os tributos federais que caem em cima dos combustíveis se os governadores fizerem o mesmo com o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços).

Helder Barbalho (MDB), governador do estado do Pará, aceitou, desde que possa realizar uma taxa sobre a mineração em 6,6%.

Como o governador do Pará pensa

Fazendo uso das redes sociais, o governador disse que, em razão da proposta feita por Jair Bolsonaro, o Pará iria deixar de ganhar 3 bilhões de reais por ano, sendo aproximadamente 30% da arrecadação do ICMS, a maior fonte de recursos do Estado.

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), igualmente concordou com a proposta lançada pelo presidente.

“Os dados oficiais apontam que 70% de todos os tributos arrecadados no Brasil ficam com a União. Então os governadores fizeram uma proposta de reforma tributária, esse está pronto para votação então a resposta é sim, nós queremos tratar de redução e simplificação na área tributária, queremos garantir que o país tenha outra modelagem com um fundo de compensação, com fundo de desenvolvimento das desigualdades regionais e isso está pronto para votação”, afirmou.

Outro que também deseja seguir em frente com a discussão da proposta feita pelo presidente Jair Bolsonaro que diminui o ICMS em cima dos combustíveis, foi Ronaldo Caiado, governador do estado de Goiás.

A fala de Ronaldo Caiado

“A minha posição em relação à redução do ICMS dos combustíveis será de levar adiante a proposta que o presidente Jair Bolsonaro fez ontem (quarta-feira) a nós, durante o seu pronunciamento no evento de 400 dias de seu governo: buscar o diálogo para uma solução diante de um problema que municípios, estados e União têm culpa”, disse o governador, enfatizando que é de grande importância que haja uma reunião envolvendo todos os chefes dos executivos estaduais com o presidente para ingressarem num consenso, de modo que conquistem as alterações que a sociedade anseia dos governadores.

News Atual