URGENTE: Moro nega pedido de Lula para suspender perícia sobre o sistema de propina da Odebrecht

Nesta quarta-feira, 14, a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez requerimento ao juiz federal Sérgio Moro – responsável pela Lava Jato em primeira instância – pedindo a suspensão da perícia sobre o sistema eletrônico de contabilidade da propina da empreiteira Odebrecht.

A vistoria da Polícia Federal sobre os sistemas, chamados de ‘Drousys’ e ‘MyWebDay’, foi autorizada pelo mesmo juiz em ação penal que investiga pagamento de propina ao petista.

O advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins, fez o requerimento pedindo que Moro barre a perícia até que o Ministério Público Federal apresentasse esclarecimentos sobre o MyWebDay, que é um software desenvolvido pela empreiteira para gerenciar contabilidade paralela das propinas.

Zanin argumentou que há ‘concreta possibilidade de fraude, especialmente no que se refere ao Drousys’ – que é o sistema de informática para comunicação do setor de propinas da empresa.

Ainda, o advogado solicitou que a força-tarefa da Operação Lava Jato respondesse a três perguntas: “Quando teve conhecimento de que a cópia do sistema MyWebDay entregue pela Odebrecht por ocasião do acordo de leniência não poderia ser acessada”, “Quais foram as providências tomadas diante da informação de que a cópia do sistema MyWebDay entregue pelo grupo Odebrecht por ocasião do acordo de leniência não poderia ser acessada” e “Qual foi a base utilizada para fazer referência na denúncia ao sistema MyWebDay?”.

A defesa de Lula informou que a perícia já levou ‘100 dias de análise’, e solicitou que ‘após eventual retomada dos trabalhos periciais, seja concedido às defesas de prazo igual àquele concedido ao Setor Técnico do Departamento de Polícia Federal para análise e manifestação acerca do laudo pericial decorrente do trabalho de alta complexidade desenvolvido pela equipe de peritos oficiais daquele órgão’.

Nessa tarde de quinta-feira, o juiz Sérgio Moro negou o pedido para suspender a perícia no sistema de propina da Odebrecht feito pela defesa. Para Moro, a suspensão “não faz o menor sentido”.

Em despacho, o juiz escreveu o seguinte:

“Ora, essa [a suspeita de fraude ou manipulação] é uma das questões que constituem o objeto da própria perícia em andamento, já que solicitado que fosse esclarecido quanto à autenticidade dos registros digitais e sua origem.

Aliás, a perícia foi determinada exatamente em decorrência dos questionamentos pretéritos da Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva acerca da autenticidade dos documentos extraídos do sistema e juntado aos autos.

Então a pretensão da Defesa de suspensão da perícia por suspeita de fraude não faz o menor sentido”.

Via: republicadecuritiba.net