Connect with us

Política

BOMBA: Corregedoria do MPF Reage à Decisão de Dias Toffoli sobre Lava Jato

Avatar of Alteni

Published

on

BOMBA: Corregedoria do MPF Reage à Decisão de Dias Toffoli sobre Lava Jato
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Decisão de Toffoli Confrontada por Resultados da Sindicância do MPF

Em uma reviravolta recente sobre as controversas provas da Lava Jato, a Corregedoria do Ministério Público Federal (MPF) descartou qualquer conduta inadequada dos envolvidos na Operação Lava Jato, principalmente em relação às evidências apresentadas pela Odebrecht. Segundo documentos exclusivos obtidos pela CNN, não foram identificadas irregularidades no comportamento dos integrantes da operação.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A procuradora Raquel Branquinho, então corregedora auxiliar, esclareceu: “Houve o cumprimento da legislação interna e integrada ao ordenamento jurídico brasileiro por tratados e acordos internacionais sobre o tema de que o Brasil é signatário, não se constatando conduta irregular”.

O que chama a atenção é que o resultado da sindicância, que atesta a correção da conduta, foi mantido em segredo e, surpreendentemente, não foi considerado pelo ministro Dias Toffoli ao anular as provas provenientes do acordo de leniência da Odebrecht.

Em resposta, Toffoli anunciou que comentará sobre o assunto no contexto do processo. A Associação Nacional dos Procuradores (ANPR) não ficou indiferente e já apresentou recurso.

Entenda a Sindicância

A investigação interna, ou sindicância, veio à tona após o ministro do STF, Ricardo Lewandowski, levantar dúvidas quanto à cooperação internacional e à integridade do conjunto de provas fornecidas no acordo estabelecido com a Odebrecht.

Os documentos revelam que, conforme o acordo de leniência, é responsabilidade da empresa fornecer as provas. Ficou registrado um pedido de compartilhamento de evidências com a Suíça, além de destacar que a legislação vigente permite a comunicação informal entre procuradores.

Finalizando a sindicância, e com base em suas conclusões, a então corregedora-geral do Ministério Público, Elizeta Maria de Paiva Ramos, decidiu pelo arquivamento do caso e prontamente comunicou o ministro Ricardo Lewandowski sobre sua decisão.

Você também pode gostar: Contra Moraes, Nunes Marques se opõe em voto surpreendente

Receba notícias exclusivas no nosso grupo do WhatsApp! Clique aqui para entrar.

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços. Ao usar nossos serviços você concorda com as nossas políticas de privacidade.