Connect with us

Política

Pacheco Tenta Impedir CPI e Gilmar Mendes Analisa — Confira os Motivos

Avatar of Alteni

Published

on

Decisão Surpreendente: Pacheco Tenta Impedir CPI e Gilmar Mendes Analisa — Confira os Motivos
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Presidente do Senado se manifesta contra abertura de CPI

Uma notícia surpreendente veio à tona recentemente. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma manifestação contrária à abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os atos criminosos ocorridos em 8 de janeiro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A senadora Soraya Thronicke (União Brasil-MS) apresentou o requerimento da CPI no Senado, solicitando o reconhecimento das assinaturas coletadas para a instalação da investigação. No entanto, os advogados de Pacheco argumentam que o pedido foi apresentado na legislatura passada e cabe à Presidência do Senado deliberar sobre a questão, tratando-se de um ato interno da casa legislativa.

Você também pode Gostar: O governo Lula está prestes a sofrer derrotas históricas na Câmara: Saiba mais detalhes

O documento enviado ao STF afirma que, embora a criação de uma CPI seja um direito das minorias, há limites formais a serem observados. Além disso, é mencionado o requisito legal de natureza temporal para o funcionamento de uma CPI, que deve ser considerado na deliberação do Presidente do Senado. Segundo o texto, uma legislatura não pode impor à próxima o dever de criar ou dar continuidade a um inquérito parlamentar.

Argumentos dos advogados de Pacheco questionam validade do requerimento da CPI

Pacheco argumenta que, para o requerimento ser válido, é necessário que as assinaturas coletadas sejam ratificadas pelos senadores da atual legislatura. Sem essa confirmação, não há possibilidade jurídica ou fática de que o pedido seja lido, considerando o término da legislatura em que foi protocolado.

Agora, o caso está nas mãos do ministro-relator do STF, Gilmar Mendes, para que ele decida.

Confira também notícias no nosso canal no Telegram, clicando aqui.

Leia também: O maior escândalo do judiciário brasileiro em andamento: as revelações do Estadão

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços. Ao usar nossos serviços você concorda com as nossas políticas de privacidade.