Connect with us

Política

Ricardo Lewandowski: Entenda como o ministro deu uma “mãozinha” para Alckmin, confira

Ricardo Lewandowski - Foto Reprodução do Twitter

Nesta quarta-feira, dia 21 de dezembro, a população voltou a se surpreender mais uma vez com uma decisão do STF, em especial do ministro Ricardo Lewandowski. Em resumo, o magistrado encerrou uma ação penal contra Geraldo Alckmin. A saber, o ex-Tucano era investigado pelo recebimento de mais de R$ 11 milhões da Odebrecht, referente a doações ilegais nas campanhas de 2010 e 2014. 

A ação tem por base delações premiadas da Lava-Jato e a decisão de Lewandowski atende a uma solicitação da defesa de Geraldo Alckmin. O pedido teve por base uma decisão anterior do ministro, anulando provas contra Lula. Vale lembrar, que no departamento de operações estruturadas da Odebrecht, ou seja, departamento de propinas, Alckmin era conhecido como Belém e MM. 

Você pode gostar: Tabata Amaral comemora “canetada” contra Zambelli e toma invertida: “Hoje foi ela, amanhã será você”

Fiuza debocha da decisão de Lewandowski: ”Nada mais natural, está contando com as benesses da cena do crime” 

No Canal da Oeste, o jornalista Guilherme Fiuza comentou sobre a decisão de Ricardo Lewandowski que acabou favorecendo Alckmin. “Alckmin falou que o Lula queria ser presidente para voltar à cena do crime. Então nada mais natural do que contar com as benesses dos amigos do Lula para ficar à vontade na cena do crime.” Disse Fiuza.

Por outro lado, o colega Augusto Nunes foi mais duro em sua análise sobre a famigerada decisão. “Tá explicado porque estão juntos, nasceram um para o outro e são bandidos. “ Disparou Augusto.

Confira: Flávio Dino é destroçado por jornalista corajoso: “Malandro e está desqualificado para isso”

“O crime no Brasil compensa”, resposta do STF a jornalista que fez a pergunta. Ser juiz me parece que compensa mais ainda, pois a impunidade só depende dele mesmo.” Comentou um usuário: “Não existe mais pudor nem exemplo a seguir, esses ministros hoje fazem mal ao país e a população de bem.” Lamentou outro seguidor. 

Confira também notícias no nosso canal no Telegram, clicando aqui.

Leia também:  Janaína Paschoal: “Deveriam convencer os coitados nas portas dos Quartéis de que nada vai acontecer”


Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços. Ao usar nossos serviços você concorda com as nossas políticas de privacidade.